AGROFLORESTA

Iniciativas da Arroba Sustentabilidade para agrofloresta

Conforme tendência já identificada pela Arroba Sustentabilidade, o impacto econômico proveniente das áreas com declividade superior a 12% nas propriedades rurais e as consequentes migrações da cultura de cana de açúcar para outras atividades agrícolas, vem gerando muitas dúvidas sobre o que fazer com essas áreas que não poderão mais ser utilizadas para esse tipo de cultivo.

Além disso, o novo código florestal (Lei 12.651/2012) também trouxe algumas mudanças, dentre elas, a possibilidade de exploração econômica-sustentável da Reserva Legal com base em modelos que possuam espécies nativas e exóticas, a fim de garantir a rentabilidade das propriedades rurais.

A Arroba Sustentabilidade vem participando de diversos eventos como o EPBio, ministrado pela Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo e o IX Simpósio de Tecnologia em Meio Ambiente e  Recursos pela FATEC JAHU, onde acabou observando um alto potencial e sinergia entre as entidades preocupadas pela produção e a conservação de acordo com as leis ambientais.

Por esse motivo, a Arroba Sustentabilidade tem trabalhado em parceria com diversas instituições como FATEC-JAHU, CATI, APTA, AGROÍCONE, SRB (Sociedade Rural Brasileira), Fundação Getúlio Vargas e ONGs como WRI para estabelecer um modelo de paisagem produtiva na região centro-oeste Paulista, a esse modelo atribuímos a denominação de PROJETO AGRONUT.

O Projeto Agronut visa identificar espécies nativas, preferencialmente frutíferas, com alto potencial de produção, ao mesmo tempo em que possa ser apreciada pelos consumidores devido ao fato de estimular o comércio de produtos do Cerrado Paulista. Nossos pesquisadores já identificaram algumas espécies que estão consolidadas na região e que estão produzindo e gerando resultados, como é o caso da jabuticaba, uvaia, baru, entre outras.

A utilização de espécies exóticas são consideradas como o “carro-chefe” da restauração e conservação de reservas legais, além de possuir um alto potencial para ocupar as áreas inviáveis para a mecanização agrícola, permitindo uma alta rentabilidade econômica. Nesse sentido, a macadâmia que é uma espécie exótica originária da Austrália, na parcela destinada ao plantio de exóticas, apresenta grande vantagem por sustentar a área enquanto as nativas estão em fase de desenvolvimento.

Mapa de identificação de espécies na reserva legal

Mapa de identificação de espécies na reserva legal

Com base nessas informações, o Projeto Agronut vem trabalhando no planejamento do uso do solo de uma propriedade localizada no interior de São Paulo visando a identificação de espécies na Reserva Legal a fim de identificar locais em que possam ser cultivadas espécies exóticas.